Douro Porto Wine Festival

RENATO CUNHA

Chefe e proprietário do Restaurante Ferrugem

Docente na Universidade Portucalense e na

Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Porto

Finalista de Mestrado em Turismo e Hospitalidade

Membro da Rede de Mentores Famalicão Made IN

Membro do Painel Nacional de Avaliação de Vinhos

Curador da Praça – Mercado Municipal de V. N. Famalicão, em 2023 Jurado do Prémio

Ecotrophelia Portugal

Consultor em gastronomia

Com espírito empreendedor e uma vida multidisciplinar, divide o tempo entre o Ferrugem, um projeto de restauração desde 2006, a docência no ensino superior e as atividades ligadas à terra, como a horta biológica, o alojamento local em ambiente rural e a iniciativa #ircomsedeaopote, eleita “Melhor Experiência Turística” do Minho, em 2022, pelo Consórcio Minho IN. Em 2016 foi distinguido com a Medalha de Mérito Municipal Económico pela Câmara de Famalicão.

A par da gastronomia, nutre especial interesse pela área dos vinhos, lecionando Enogastronomia e tendo sido várias vezes premiado em concursos de harmonização de gastronomia e vinhos, assim como jurado em concursos do mesmo âmbito. Em 2012, foi eleito Chefe de Cozinha do Ano, pela Revista Wine, e, em 2017, o Ferrugem foi eleito Restaurante do Ano, pela Revista Vinho Grandes Escolhas. Ainda nesta área, com o Ferrugem conquistou o diploma de ouro nas últimas edições do Concurso Gastronomia com Vinho do Porto, assim como quatro diplomas de ouro em cinco participações no Concurso Vinhos Verdes e Gastronomia. Tem também no seu currículo múltiplas participações em atividades como o “Congresso Nacional de Cozinheiros”, “Peixe em Lisboa”, “Wine in Azores”, “Vinho Verde Fest”, “Vinho Verde Wine Fest Brasil”, “Essência do Gourmet”, “Essência do Vinho”, “Fórum Gastronómico da Corunha”, múltiplas palestras e várias conferências como as conhecidas TEDx.

Cozinheiro por vocação, gosta que o vejam como embaixador da gastronomia portuguesa. Para isso, atento ao que se faz em Portugal e no mundo, procura uma formação de banda larga, assente tanto no empirismo popular, como no conhecimento da alta cozinha e da academia. A cozinha que preconiza tem como principais ingredientes os produtos com identidade portuguesa e de preferência com origem numa agricultura sustentável (biológica ou biodinâmica) - uma cozinha manifestamente de raízes populares, com grande rigor técnico e temperada com criatividade e inovação.